Conseguir e saber ouvir

Mais de 5% da população mundial – 360 milhões de pessoas, das quais 32 milhões são crianças – sofrem de uma deficiência auditiva moderada. A deficiência auditiva moderada começa com uma perda de audição de 40 dB (30 dB em crianças) no ouvido com um melhor desempenho. Tal corresponde aos ruídos básicos em áreas residenciais. No entanto, muito mais pessoas sofrem de deficiência auditiva leve. Os danos auditivos podem ocorrer devido a causas genéticas, a complicações à nascença, a determinadas doenças infeciosas, a infeções auditivas crónicas, ao abuso de drogas, a uma exposição excessiva ao ruído e como sinais de envelhecimento.

Os números são cada vez mais elevados. 1,1 mil milhões de jovens entre os 12 e os 35 anos de idade estão cada vez mais expostos ao perigo de sofrerem lesões auditivas devido a atividades de tempos livres em ambientes com ruído. Um total de 60% dos problemas auditivos das crianças devem-se a causas evitáveis.

fonte: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs300/en/

Estudos mostraram que, no entanto, apenas uma entre cinco pessoas utiliza um aparelho auditivo do qual poderia beneficiar. Em média, pessoas com perda auditiva aguardam quase 10 anos até fazerem algo a esse respeito.

Um maior conhecimento sobre a audição pode sensibilizar as pessoas e encorajá-las a testar a sua audição e, em caso de necessidade, a procurar um aconselhamento atempado. Muitas vezes um tratamento medicamentoso a tempo e horas, ou uma cirurgia, conseguem resolver a perda auditiva. Quando a espera é prolongada, normalmente acaba por se tornar necessário usar um aparelho auditivo – o cérebro pode "desaprender" de ouvir.

Compilámos aqui alguma informação útil para si.